preloader
Neves-Corvo

Neves-Corvo  é uma mina que produz maioritariamente concentrados de cobre, zinco e chumbo. A operação é detida e operada pela Lundin Mining, sendo a SOMINCOR a sua subsidiária em Portugal. A Lundin Mining adquiriu a mina de Neves-Corvo em 2006 como parte da fusão da EuroZinc Mining.

  • Mina Cobre, zinco, chumbo e prata
  • Tipo Mina Subterrânea
  • Propriedade 100% Lundin Mining
  • Localização Alentejo, Portugal
Localização

Localizada no Alentejo, a sul de Portugal, a operação encontra-se a cerca de 15 km da vila de Castro Verde e a aproximadamente 220 km de Lisboa. Neves-Corvo tem boas ligações  à rede de estradas nacionais e uma rede ferroviária com ligação à rede nacional e ao Porto de Setúbal. Não existem grandes centros populacionais perto da mina, apenas algumas aldeias com um pequeno número de habitantes. A maioria dos colaboradores desloca-se no autocarro da empresa ou em carros particulares diariamente para o local de trabalho.

Overview da Operação

A mina de Neves-Corvo tem cinco grandes jazigos em produção (Neves, Corvo, Graça, Zambujal e Lombador). O acesso ao fundo da mina é feito por rampa a partir da superfície. Existem duas britagens, uma no nível 700 (~500m de profundidade) e outra no nível 550 (~650m de profundidade). Estas britagens são alimentadas por camiões de até 65t que trazem o material das várias zonas da mina. O Poço de extração é usado para extrair minério e estéril desde o nível 700 até ao parque de minério e estéril à superfície. Abaixo deste nível, o minério é transportado através de telas transportadoras.

A mina é altamente mecanizada sendo utilizados vários métodos de desmonte, com as variantes mais utilizadas – Bench & Fill (Bancada & Enchimento) e o Drift & Fill (Galeria & Enchimento). O enchimento é realizado com pasta (rejeitados das lavarias e cimento) de forma a ocupar o vazio criado pela exploração do minério, servindo também o enchimento como plataforma de trabalho. É igualmente utilizado o enchimento com escombro e o enchimento hidráulico (mistura de areia, rejeitados de lavaria e cimento).

O processamento do minério em Neves-Corvo é feito através de duas lavarias. A Lavaria do Cobre processa aproximadamente por ano 2.6 milhões de toneladas de minério de cobre. A Lavaria do Zinco, que processa minério de zinco ou chumbo, tem capacidade de tratar anualmente 1.1 milhões de toneladas e com o projeto de expansão concluído irá passar para 2.5 milhões de toneladas por ano.

Os concentrados de cobre e zinco são transportados por comboio para o nosso porto de Setúbal e daqui são enviados para uma variedade de fundições comerciais na Europa. O concentrado de chumbo é colocado em contentores e levado para portos de transporte marítimo.

O Projeto de Expansão do Zinco (ZEP) foi aprovado em 2017 e está em fase de construção. O ZEP tem como objetivo aumentar a extração de zinco e a capacidade de processamento para 2.5 milhões de toneladas por ano, gerando uma média de 150,000 toneladas por ano de concentrado de zinco em 10 anos.

As novas infraestruturas no fundo da mina criadas pelo ZEP incluem uma nova câmara de britagem no nível 260 (~1.000m de profundidade), um sistema de tela transportadora que liga ao nível 700 (onde se localiza a zona de carregamento do sistema de extração), uma melhoria do poço já existente, conjuntamente com melhorias na ventilação, bombagem e sistema de distribuição elétrica. A maioria do minério a ser extraído pelo ZEP será retirado das áreas mais profundas do jazigo do Lombador (>1.100m de profundidade).

As modificações que o ZEP implantará ao nível da Lavaria do Zinco incluem um novo local de armazenamento de minério e um novo alimentador, um aumento do circuito de moagem e da capacidade de flutuação, um espessador de zinco e chumbo, filtros e uma melhoria dos serviços existentes.

Overview da Geologia e Prospeção

O jazigo de Neves-Corvo está localizado no ramo sul da Faixa Piritosa Ibérica, que se estende desde o sul de Espanha até Portugal. Os depósitos de minerais de Neves-Corvo estão classificados como vulcano-sedimentares de sulfuretos maciços. Tipicamente ocorrem como lentes de sulfetos maciços polimetálicos (cobre, zinco, estanho, chumbo) que se formaram no ou perto do fundo do mar em ambientes vulcânicos submarinos. Foram definidas sete zonas de sulfureto maciço compreendendo Neves, Corvo, Graça, Zambujal, Lombador, Semblana e Monte Branco. Os metais-base são segregados em centros vulcânicos onde ocorre descarga hidrotermal, formando zonas ricas em cobre, estanho e zinco, bem como em pirite maciça estéril. Estes depósitos são tipicamente sustentados por massas de sulfureto, que dão forma a uma parte importante dos jazigos de cobre.

Os trabalhos de prospeção e pesquisa na área envolvente da mina têm-se focado na procura de novos depósitos de sulfuretos maciços.

As técnicas de prospeção utilizadas incluem geoquímica de solos, cartografia geológica e diversas técnicas geofísicas, nomeadamente de magnetometria aerotransportada, gravimetria terrestre e aerotransportada, eletromagnetometria e ainda sísmica de reflexão 3D de alta-resolução, culminando com sondagens mecânicas.